Segunda-feira, 6 de Outubro de 2008

O aniversário do capitão, segundo "O Vitória"

«Quero continuar a fazer parte desta história» 


                                                                     Foto: Site Oficial VitóriaSC

 

Dos 32 anos que Flávio completou na última sexta-feira, quase metade deles cumpriu-os a correr com a camisola do Vitória e juntou-lhe, mais recentemente, a braçadeira de capitão do Clube. Para assinalar a data, Flávio consumou a tradição de sempre: aglutinou os colegas no balneário, local onde se cantaram os parabéns a um dos maiores símbolos vivos do Vitória Sport Clube. Houve festa, sim senhor, mas esta só será plena depois de assegurados os três pontos do derby - essa é a prenda secreta que por agora cabe nos desejos do grande capitão. Em conversa com "O Vitória", Flávio aponta ao futuro e mostra-nos que o fim ainda não cabe no horizonte. Como é vulgar dizer-se, está como o aço.

 

Trinta e dois anos já não fazem de si um jovem, mas quem o vê em campo facilmente percebe que a atitude e frescura estão intactas. Há um segredo que explique o seu estado de forma?
No futebol já pouco existe de secreto. A carreira de um jogador de futebol não é longa e é importante que nos saibamos cuidar. Sou exigente comigo e obrigo-me, em cada dia, a dar tudo de mim em favor da Instituição que me paga. Treinar nos limites é uma das premissas indiscutíveis dessa longevidade, assim como uma alimentação regrada e equilibrada. O tempo de repouso é também fundamental porque nos permite recuperar perfeitamente do desgaste a que estamos sujeitos. O Vitória tem um plantel jovem e, talvez por ter esses cuidados, não sinta os 32 anos que festejei há dias.

Teremos Flávio ainda por muitos anos?
É importante que se responda a isto com sinceridade. Sinto-me em perfeitas condições de poder ajudar o Vitória até ao final do meu contacto, que expira em 2010. É nisso que me foco e é isso que me consome diariamente. Honestamente, não vejo o fim da carreira assim tão perto porque sinto-me como quando aqui cheguei aos 15 anos. Com vontade de ser parte integrante dos grandes momentos do Vitória. Agora, há elementos aleatórios, como as lesões, que podem dificultar o percurso dos atletas. Felizmente que nunca fui muito melindrado por problemas físicos.

Assusta-o o facto de vir a ouvir expressões como "está velho" ou "já deu o que tinha a dar"? Isto porque, já se sabe, no futebol a memória é muito curta...
Não, não. A este nível todos têm que se acostumar com o que de melhor e pior tem o futebol. E é compreensível que assim seja, ainda que assustador, dado que os resultados são a prioridade máxima de uma equipa. No meu caso, todos sabem que não tive vida fácil aqui no Vitória. Estava na "lista negra". Consegui dar a volta por cima e puxar as pessoas para o meu lado. Mas o importante é o equilíbrio mental que temos perante as situações. Não podemos cair em desgraça se nos assobiam ou ficar eufóricos se nos batem palmas. A experiência diz-me que de nada servem as conquistas de ontem. Hoje é que é importante, porque é o que está à frente dos nossos olhos.

Por falar nisso, se há jogo para ganhar este é o melhor de todos?
É um jogo muito importante, pois sabemos bem o que significa um derby para o nosso povo. Aquilo que posso dizer é que os jogadores do Vitória farão tudo o que estiver ao seu alcance para dar mais uma alegria aos seus adeptos. No entanto, não é pelo facto do adversário ser o Braga que vamos correr mais ou menos. Habituamos as pessoas a ter a mesma atitude e a mesma vontade de vencer, seja contra o Braga ou o União de Lamas. Sei que o derby se vive de outra forma mas o profissionalismo não se compadece com essas "guerras". Até porque este jogo vale o mesmo do que qualquer outro: três pontos.

Mas não seria uma óptima prenda de aniversário?
Seria não. Espero mesmo que venha a ser. Não escondo que, como capitão, sinto um gozo especial por poder proporcionar aos vitorianos um grande contentamento. Se pudesse escolher uma prenda, passaria por isso. Só porque poderia partilhá-la com o que de mais inestimável o Vitória tem: os seus adeptos.

 

Reportagem do jornal O Vitória

publicado por CláudiaBragança às 23:13
link do post | comentar | favorito

.il capitano

Flávio Miguel Magalhães Sousa Meireles
Data de nascimento: 03/10/1976
Altura: 1,87m
Peso: 88 kg
Posição: Médio-defensivo
Número da camisola: 26
Nacionalidade: Portuguesa
Naturalidade: Ribeira de Pena
Residência: Guimarães

Trajectória:
1996/97: Moreirense
1997/98: Moreirense / Fafe
1998/2000: Fafe
2000/2003: Moreirense
Desde 2003: Vitória de Guimarães

.Participe!

Qualquer dúvida, sugestão ou mensagem
que queira deixar neste blog por favor
utilize o nosso e-mail.

 

flaviomeireles26@sapo.pt

.links

.Novembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.arquivos

blogs SAPO

.subscrever feeds